Webline Sistemas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                          PARABÉNS CAPITAL DA AMIZADE!

 

 

Que sua emancipação político administrativa gloriosa continue sendo

lembrada. Que seu presente seja trabalho e vitórias e seu futuro de muito

desenvolvimento, prosperidade e paz!

Parabéns Lucélia!

Parabéns munícipes!

 

CÂMARA MUNICIPAL DE LUCÉLIA

 

Histórico do Município de Lucélia/SP.

 

Lucélia é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º43'13" sul e a uma longitude 51º01'08" oeste, estando a uma altitude de 438 metros. Sua população estimada em 2016 era de 21.330 habitantes. Sua economia possui atividade nos segmentos agropecuário, agroindustrial e de turismo.

 

A emancipação político-administrativa da cidade de Lucélia ocorreu em 24 de junho de 1944, quando tornou-se município. Mas a nossa História começa bem antes.

 

As terras do atual município de Lucélia foram colonizadas em 1920, por imigrantes russos e eslavos com a chegada da Estrada de Ferro Sorocabana.

 

Tais imigrantes de origem russa, ucraniana, búlgara e romena, vieram da antiga Bessarábia, atual Moldávia.

 

Em 1929, João de Arruda construiu o primeiro rancho e deu início à cidade Zona da Mata. Em 1939, o Dr. Luiz Ferraz de Mesquita fundou uma povoação que recebeu o nome de Lucélia. Da união da sílaba LU de seu nome e da sílaba CE do nome de sua esposa Cecília, acrescidos da desinência LIA, tão comum nas cidades da vizinhança, tais como Gália, Cabrália, Marília, surgiu o nome LUCÉLIA.

 

Tornada Comarca na década de 1.940, Luíz Ferraz de Mesquita foi seu primeiro prefeito municipal, ocorrendo na gestão, a primeira eleição para presidente da República, depois da ditadura Vargas, sendo eleito o Marechal Dutra. Faleceu em Lucélia no dia 14 de novembro de 1.960, deixando a viúva, os 10 filhos e mais de 30 netos e a comunidade pela qual sonhou, viveu deixou grandes amigos.

 

Formado em engenharia civil em 1914, Luiz Ferraz de Mesquita, iniciou sua atividade profissional, na demarcação judicial das terras da Fazenda Monte Alegre, localizada à margem direita do Rio do Peixe.

 

Monte Alegre é denominação vaga que servia para designar todas as terras entre o Rio do Peixe e Rio Aguapeí, aproximadamente de Bastos até a barranca do Rio Paraná.

 

A cidade de Lucélia, não surgiu ao acaso, mas de um plano urbanístico e econômico racional idealizado pelo engenheiro Luiz Ferraz de Mesquita. Em 1.939, deu-se a fundação de LUCÉLIA, no município de Martinópolis a 6 km do distrito de Baliza.

 

O município de Lucélia foi criado com sede no povoado do mesmo nome e com terras desmembradas dos municípios de Andradina, Valparaíso, Guararapes, Martinópolis, Presidente Prudente, Presidente Bernardes, Santo Anastácio e Presidente Venceslau.

 

Inicialmente, o município contou com os distritos de paz de “Aguapeí do Alto” (atual, Flórida Paulista), “Guaraniúva” (atual, Pacaembu) e “Gracianópolis” (Tupi Paulista).

 

Graças ao prestígio de seu fundador, Lucélia foi elevada de uma só vez à categoria de Distrito de Paz, Município e Comarca pelo Decreto Lei nº 14.334 de 30 de novembro de 1944. "

 

Se por um lado houve a colonização dos russos, o município também teve forte presença de imigrantes alemães, que fundaram uma pequena comunidade denominada “Nova Pátria”, hoje Colônia Paulista.

 

Lucélia também teve forte presença dos imigrantes japoneses e de suíços que ajudaram na colonização e desenvolvimento da futura cidade.

 

Dessa forma, Lucélia congregava em sua formação descendentes de diversos países, caracterizando-se desde esse período por sua fama de acolhedora e receptiva. Assim, passou a ser conhecida como “A capital da amizade”, por causa do caráter bondoso, amigo e hospitaleiro dos moradores da cidade.

 

Em meio a sua história, diversas foram as festividades realizadas no Clube de Campo Max Wirth. Muitas delas contando com cantores como: Roberto Carlos, Demônios da Garoa, Aracy de Almeida, Moacyr Franco e outros que elevaram ainda mais o nome de “Capital da Amizade”. Da mesma forma, isso também ocorreu e ocorre com os inúmeros turistas de várias partes do Brasil e do mundo que visitaram e visitam o Salto Carlos Botelho, sempre sendo bem recebidos e acolhidos pela população luceliense.

 

Em Lucélia também fora criado o Futebol Médio:

 

O Futebol Médio foi idealizado pelos senhores Hamilton Di Stéfano e Paschoal Milton Paschoal Lentini, cidadãos lucelienses. Originada de uma mescla de princípio de desesportivização e esportivazação. Registrado na Diretoria do Tênis Clube de Lucélia na data de 13 de janeiro de 1978, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, no caderno Inéditoriais, na página 2 do dia 18 de março de 1978, registrado Cartório de Registro de Títulos e Documentos da Comarca de Lucélia, sob nº. 185 do livro “E” em 09 de maio de 1978, que dispõe sobre as 18 regras do jogo, dimensão de campo, bola, e outros detalhes que diferenciam o estilo do Futebol Médio. Após alterações consolidadas as regras novamente foram registradas no mesmo cartório anteriormente supracitado, conforme consta no Livro B – 133, registro sob nº. 6548, do dia 18 de maio de 2010.

 

 

A modalidade é praticada mundialmente, de fácil acesso, norteando baixo custo financeiro, ainda que, muitos lugares não reconheçam sua real ideologia cultural e esportiva, segue uma ascendência no meio acadêmico. Como outro esporte não discrimina classe social e nenhum tipo de pré-conceito com o ser humano, de caráter competitivo e recreativo, procedente de princípios básicos em códigos de ética do mundo esportivo, levando a paz reconhecimento como deve ser um esporte. Haja vista que, em anos anteriores este fora um dos principais meios de se congregar a união, a diversão e a harmonia entre seus munícipes e os moradores das cidades circunvizinhas. Tamanha significância das ações que, nos dias atuais possuem matérias específicas tramitando em órgãos legislativos, como na Câmara dos Deputados, apresentado pelo Deputado Fausto Pinato, no dia 28 de fevereiro de 2018, sob o nº. 9658, com a ementa: “Confere ao Município de Lucélia, no Estado de São Paulo, o título e reconhecimento como O Berço do Futebol Médio”, já no Estado de São Paulo na Assembleia Legislativa, apresentado pelo Deputado Mauro Bragato, tramitam duas matérias, em 25 de maio de 2019, sob o nº. 703, com a ementa: “Incluir no Calendário Turístico do Estado de São Paulo o Futebol Médio” e ao 1º de junho do corrente ano, sob o nº. 725, com a ementa: “Reconhece o Futebol Médio como modalidade de esporte no Estado”.  

 

O Aeroclube local, chegou a ser o terceiro maior em formação de pilotos.  O que consequentemente acabava gerando um grande fluxo de pessoas advindas de outras partes do país, pela cidade. Sendo este um outro fator que também viera a alavancar o “slogan” Capital da Amizade.

 

A cidade teve um dos mais brilhantes e animados “carnavais de rua” do interior paulista, a concentração  antigamente na avenida Internacional, no centro da cidade, reconhecendo como o bloco Requenguela, onde os homens se fantasiavam de mulheres e estas de homens. Depois de uma longa data o carnaval de rua retornou na via de acesso.  Fato este que fez com que milhares de pessoas visitassem esta cidade em tal período. Da mesma forma que, ficavam encantados com a hospitalidade do povo e consequentemente também contribuíam na difusão do nome da cidade de Lucélia para todo o Brasil.

 

Deste modo, é provado historicamente que o município fez por merecer carinhosamente, o slogam, Lucélia “Capital da Amizade” e, é de grande importância o reconhecimento do mesmo por lei municipal, para que o nosso município possa deixar registrado a sua origem e esta não se perca ao longo do tempo.

 

 

LEI MUNICIPAL N.º 4.884 DE 11 DE MAIO DE 2020

 

 

Data: 23-06-2020 00:00:00